Como evitar o plágio?

Vamos partir do pressuposto que a maioria das escolas públicas ou particulares de hoje possuem sala de informática. Tendo essa afirmação como ponto de partida, elaboramos a primeira questão: para que são usadas as máquinas?

Na maior parte dos casos, a resposta obtida será: para pesquisa.

Contudo, dificilmente iremos encontrar um professor que aceite as pesquisas impressas diretamente do computador, achando que, dessa forma, irão evitar o plagio e o comportamento de copy/paste que tanto agrada aos alunos.

A verdade é que muitos professores mantém a premissa de que copiando a informação à mão, o aluno estará lendo e reproduzindo o texto, retendo alguma informação, enquanto que, usando recursos de copy/paste o aluno pode ler apenas trechos do texto sem absorção alguma de seu conteúdo.

A afirmação é válida, mas não resolve o problema por alguns motivos:

  • O conteúdo do trabalho impresso, havendo copy/paste ou não, deve ser lido pelo aluno. Isso é o que constitue a pesquisa (procurar diversas fontes, refinar seu conteúdo, abordar o assunto de acordo com a solicitação e escrever a pesquisa final). Dessa forma, sabemos que muitos alunos copiam textos à mão sem lê-los na íntegra e sem prestar atenção, também absorvendo nada.
  • O fato do trabalho ser escrito manualmente, se copiado, também é plágio e o conhecimento desse comportamento por parte do aluno irá contribuir para a formação de seu caráter.
  • Adolescentes são nativos digitais e não conseguem imaginar a vida sem a tecnologia que os cerca. Giz e lousa, assim como papel e caneta, representam o passado e cheiram a naftalina. Dessa forma devemos aproveitar e compartilhar dessa mesma linguagem nos apropriando e adequando ao ciberensino.

Tendo isso em mente, você pode deixar que seus alunos entreguem trabalhos impressos, afinal, de que adianta escreverem à mão se, no primeiro emprego, eles terão que lidar com o computador? Além de alfabetizar, temos que alfabetizar para o meio digital. Lembre-se: analfabetos digitais fazem parte dos excluídos, e não é isso que você quer para seus alunos.
Você, professor, é o agente dessa mudança. É através da sua atuação que seus alunos irão utilizar as ferramentas digitais da maneira mais eficiente.

Vamos então às dicas:

  1. Em primeiro lugar, trabalhe com seus alunos a questão do Plágio. O que é e porque é crime. É importante fazê-los entender que não há diferenciação entre roubar artigos ou roubar conteúdos. Alguem está sendo lesado. Para isso, você pode utilizar a definição de plágio da wikipédia. O ideal é que essa aula seja um debate. Você pode instigar os alunos com questões do tipo: "se você roubar um shampoo no mercado, quem é lesado?" e "se você copiar um texto da internet, quem é lesado?", "qual a diferença entre esses dois crimes?".
  2. Tendo trabalhado essa questão, explique as diferenças entre o plágio e a citação de parágrafos indicando a fonte. É importante ensiná-los a referenciar suas fontes de pesquisa, inclusive para as citações. Para isso você pode usar as normas de citação bibliográfica da ABNT: (clique para ver o quadro de referências)

    Agora peça os trabalhos! Quer dicas para a hora da correção? Vamos lá:
  1. Leia o trabalho. Veja se a linguagem é compatível com a linguagem daquele aluno. Para reconhecer essa linguagem é ideal que você permita trabalhos impressos apenas a partir do segundo semestre, assim conhecerá o potencial de cada aluno e sua maneira de escrever. Esse é o primeiro passo para deter o plágio. Se a linguagem está ok e é compatível com aquilo que você recebeu desse mesmo aluno durante o primeiro semestre, dê sua nota. Se a linguagem apresentar diferenças perceptíveis, siga para o passo 2.
  2. Selecione um parágrafo onde você acha que haja o plágio. Digite a frase no Google (frase completa) e faça uma busca. O Google é ótimo para achar frases dentro de qualquer site. Faça isso com algumas frases em diversos parágrafos do texto. Se achar correspondência em sua busca, ipisis litteris, BINGO! Achou um trabalho plagiado!
  3. Converse com o aluno. Não o repreenda. Apenas reforce que ele tem potencial e que você sabe que ele pode fazer um bom trabalho sem plagiar. Aceite que esse aluno refaça o trabalho e explique que a nota do primeiro trabalho não será computada se ele reescrever. Assim ele aprenderá que o crime não compensa!

 

Oficina de Ideias
Livro de Técnicas
Programa Escolar
Didáticos
Paradidáticos
Planos de Aula
escola do futuro